Encontros antigamente não eram para amadores


Encontros antigamente não eram para amadores

Esse artigo “Encontros antigamente não eram para amadores ” é feito perfeitamente para você que, antes de mais nada, busca informação sempre com qualidade e em primeiro lugar.

Nem sempre a busca por um par romântico foi como conhecemos hoje. Antigamente, a palavra “amor” sequer era considerada ao se tratar de relacionamentos, e ficar com a pessoa amada era mais difícil do que em novelas.

Vamos mostrar para vocês como a busca pelo amor antigamente não era para amadores!

Tinder das antigas

Tudo era vulgar ou impróprio. O mínimo toque era pecado e passível de condenação. Até mesmo as palavras deviam ser cuidadosamente medidas. Por isso, os antigos românticos desenvolviam linguagens e códigos secretos. Shakespeare não era tão fictício assim, não é mesmo?

A aristocracia, por exemplo, utilizava de comunicação visual, como fitas de veludo para demonstrar interesse carnal. Quem usasse dava a entender que também estava “à procura”. O Tinder era bem mais complicado do que o que temos hoje!

Brincadeira de criança

Já é difícil falar o que pensa por mensagem, imagina para quem não podia ficar a sós com a pessoa amada? Se quisesse namorar, era com alguém junto, para que não houvesse pecado, e o pior: com distanciamento físico!

E foi assim que surgiu o nosso conhecido “telefone sem fio”. Feitos com tubos ocos de até dois metros de distância, eles permitiam que o casal se comunicasse mesmo com o distanciamento físico. Assim, Deus não os castigaria por cometerem o pecado a carne.

Não tinha blog, mas tinha livro

Quando temos alguma dúvida, basta fazer uma pesquisa rápida que achamos a resposta. Mas no século XIX, as coisas eram um pouquinho diferentes. O que não faltava eram publicações com dicas românticas para as mulheres.

Elas eram instruídas a serem recatadas, comedidas e não mais inteligentes do que um homem, pois isso os assustaria. Por isso esse pensamento machista se perpetua até hoje na sociedade.

Por sua vez, os rapazes procuravam por moças com bom “potencial reprodutivo” para formar família. A mulher, naquela época, era vista apenas como um meio de perpetuar a espécie. Por isso é tão fácil torcer por Catarina em O Cravo e a Rosa.

Siga o Feed Curioso no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeiro lugar.

Você também pode gostar:

Vai mais um pouco de curiosidade aí?

Compartilhe nosso conteúdo!

Quantas estrelas ⭐⭐⭐⭐⭐ este artigo merece?

5/5 - (1 vote)